Nossa história

Nossa história

Inaugurado em 1934, período áureo da Cinelândia, o Teatro Rival Refit abriu suas portas com a peça “Amor”, de Oduvaldo Vianna. Esse sentimento de amor à arte e à cultura brasileira norteia nossos ideais e trajetória até hoje.

Somos um espaço democrático e berço da diversidade cultural no país. Tornamo-nos uma das marcas mais tradicionais do Rio de Janeiro por sempre empunhar a bandeira do amor e por lutar pela resistência da arte acima de qualquer ameaça.

Enfrentamos ditaduras, diversas obras no centro da cidade, e vencemos os vários planos econômicos  fracassados. Agora, graças à resiliência, à competência de nossa equipe e à parceria sensível da Refit, a primeira refinaria privada do Rio de Janeiro, seguimos firmes rumo a nove décadas como o palco da cultura carioca. Resistimos à pandemia mantendo-nos como porto seguro para nossos artistas e nosso mais que querido público. O nosso compromisso com a cultura mantém-se mais firme do que nunca. A cultura é a alma do povo, e o Rival Refit faz parte da alma carioca.

O Teatro Rival Refit tem em sua história o compromisso com o humor, a irreverência e a ousadia, apontando para a diversidade, a tradição, a inovação e a qualidade artística. Por trás da longevidade do teatro, está sua capacidade de transformação.

Sob o comando de seu precursor Américo Leal, o teatro foi um dos principais palcos do teatro de revista. Depois, o palco recebeu toda a geração do chamado teatro rebolado. Em meio à ditadura militar, o caráter alternativo da casa foi enfatizado com os seus famosos shows de travestis.

De Grande Otelo, Oscarito e Dercy Gonçalves a Rogéria, Jane di Castro e Divina Valéria, o Rival permaneceu como espaço democrático e grande referência da vanguarda carioca. Já sob minha direção, o palco do teatro tornou-se o berço de gerações de artistas da música popular brasileira: Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Alcione, Arlindo Cruz, Luiz Carlos da Vila, João Nogueira, Cauby Peixoto, Elza Soares, João Bosco, Emílio Santiago, Luiz Melodia, Ivan Lins, Cássia Eller, Lenine, Adriana Calcanhotto, Seu Jorge e tantos outros artistas lançados, valorizados ou resgatados.

Nestes 88 anos, inúmeros eventos de sucesso foram realizados em nosso palco, e posso dizer que estamos preparados para mais, para muito mais. Seguimos firmes em nossa missão de difundir a arte em suas mais diversas formas de expressão. O Teatro Rival Refit permanece vibrante com sua inequívoca capacidade de se reinventar culturalmente e representar – como poucas instituições são capazes de fazer – a alma carioca.

Os shows permanecem centrais na proposta do espaço, mas novas peças de teatro e animadas festas que celebram a diversidade também são parte da programação. Além disso, o espaço permanece sendo uma histórica opção de locação para eventos, com infraestrutura completa de palco, salão e cozinha para atender a qualquer demanda.

O Rivalzinho, que se consagrou como um dos bares mais interessantes da cidade, continuará sendo ponto de encontro para o esquenta e pós-shows do Teatro Rival Refit.

Agora vamos viver juntos a retomada, construindo um futuro melhor e mais vibrante sempre. Estamos prontos e de braços abertos para recebê-los e realizar seus eventos.