06/03 ~ Boca Livre | Show “Viola de Bem Querer”

06/03 ~ Boca Livre | Show “Viola de Bem Querer”

“Amor de Índio” (1978) é a música escolhida para iniciar os trabalhos de divulgação do álbum “Viola de Bem Querer”, 13ª obra fonográfica do grupo Boca Livre. O disco chegou ao público após seis anos de jejum de um álbum de estúdio. A gravação do single preserva a aura de delicadeza da canção que versa sobre amor, espiritualidade e natureza em tom humanista.

Esse é o clima do icônico grupo formado por David Tygel (viola de 10 e voz), Lourenço Baeta (violão, flauta e voz), Mauricio Maestro (baixo e voz) e Zé Renato (violão e voz), que faz o show no dia 06 de março, às 19h30. Além das canções do novo disco, há espaço para alguns dos maiores sucessos do quarteto.

A capa selecionada para o álbum é uma criação de Philippe Leon a partir de foto de Leo Aversa e o álbum chega ao mercado fonográfico a partir de 24 de maio. E o lançamento foi anunciado por Beto Guedes, autor de “Amor de Índio”, ao lado de Ronaldo Bastos, em 1978, música atemporal que atravessou gerações, ganhou dezenas de regravações.

Carreira sólida

O Boca Livre tem 41 de atividade musical no cenário brasileiro e mantem firme a sonoridade que o fez surgir como um grupo ousada e ao mesmo tempo simples, calcado na junção de quatro vozes, de timbres distintos, com violões, viola e baixo, basicamente. São do grupo os hits Toada (Na direção do dia) (Zé Renato, Claudio Nucci e Juca Filho, 1978) e Quem tem a viola (Zé Renato, Claudio Nucci, Juca Filho e Xico Chaves, 1979).

“Estamos munidos com o que sabemos fazer melhor: cantar um repertório que foi escolhido com o rigor habitual e que nos inspirou a chegar em um resultado, antes de mais nada, prazeroso. O prazer de cantar juntos é o qu e nos move. Assim foi e sempre será”, explica Zé Renato.

Viola de bem querer foi gravado em 2018, em continuidade à discografia do Boca Livre, parada depois do lançamento do álbum Amizade (2013). O álbum estará disponível nas plataformas digitais e terá uma edição em CD programada para ser lançada na sequência, entre junho e julho.

O disco traz a gravação de Santa Marina, composição lançada há 40 anos, de uma parceria de Lourenço Baeta com o poeta e letrista mineiro Antônio Carlos Ferreira de Brito (1944 – 1987). Há também lugar para o inédito como Cacaso. Outra música presente no repertório é o samba Vida da minha vida (de Moacyr Luz e Sereno, 2008). Já a canção-título Viola de bem querer é título da parceria de Breno Ruiz e Paulo César Pinheiro.

“Estamos munidos com o que sabemos fazer melhor: cantar um repertório que foi escolhido com o rigor habitual e que nos inspirou a chegar em um resultado, antes de mais nada, prazeroso. O prazer de cantar juntos é o que nos move. Assim foi e sempre será”, explica Zé Renato.

Com direção musical do próprio quarteto e arranjos vocais de Mauricio Maestro, o repertório contempla composições autorais, como “Santa Marina” (Lourenço Baeta / Cacaso), “Noite” (Zé Renato / Joyce), “O Paciente” (David Tygel) e “Eternidade” (Mauricio Maestro), além de releituras de clássicos como “Amor de Índio” (Beto Guedes / Ronaldo Bastos), “Um Violeiro Toca” (Almir Sater / Renato Teixeira) e “Vida da Minha Vida” (Moacyr Luz / Sereno). Há espaço também para a composição recém-lançada por Geraldo Azevedo, “Um Paraíso Sem Lugar“, dele com Fausto Nilo, e para a regravação de “Viola de Bem Querer” (Paulo Cesar Pinheiro / Breno Ruiz), que dá nome ao disco.


Serviço
Data: 06 de março (sexta). Horário: 19h30. Abertura da casa: 18h00.
Ingressos: Setor A: R$100,00 (inteira), R$ 60,00 (Promoção para os 100 primeiros pagantes), R$ 50,00 (meia-entrada) | Setor B: R$ 80,00 (inteira), R$ 50,00 (Promoção para os 100 primeiros pagantes), R$ 40,00 (meia-entrada)

Compre seu ingresso agora clicando aqui http://bit.ly/SymplaTeatroRivalRefit2020

Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 21h
Censura: 18 anos. Capacidade: 350 pessoas. Informações: (21) 2240-9796
Metrô/VLT: Estação Cinelândia

Meia-entrada: Estudante, Idosos, Professores da Rede Pública Estadual, Funcionários Refit, Assinantes do Jornal O Globo

Teatro Rival: Rua Álvaro Alvim, 33/37, Cinelândia – Rio de Janeiro. http://www.teatrorivalrefit.com.br/